Manifestação da Faculdade Verde Norte – Favenorte Sobre a Política Financeira da Instituição Relacionadas ao COvid-19 e as Aulas Remotas

A Favenorte, através de sua Diretora Executiva, vem manifestar publicamente para a comunidade acadêmica, corpo docente e discentes, esclarecimentos pertinentes à política financeira da Instituição, no atual cenário de crise nacional, relacionado ao Covid-19.

Cientes de todas as manifestações de curso ou departamento financeiro da instituição, nos quais alguns acadêmicos invocam uma possível padronização de descontos das mensalidades, manifestamos o que segue:

É importante destacar que a prestação de serviços por meios digitais, argumento principal das considerações dos nosso corpo discente para pleitear os referidos descontos, não é uma opção da instituição, mais uma medida que se impõe através da determinação do poder público, que proíbe a “aglomeração”, fator culmina na impossibilidade do exercício regular das atividades da Favenorte.

Diante desta necessidade, cumpre ressaltar que todas as orientações do Ministério da Educação – MEC estão sendo pontualmente observadas pela instituição, no intuito de não prejudicar ou interromper a trajetória da formação dos acadêmicos. Destacamos que não trabalhamos com a hipótese de interrompimento deste serviço, dada a sua relevância social e o aclame daqueles que buscaram a Favenorte e que esperam a continuidade deste serviço tão relevante para a sua formação profissional e humana, certos de que neste momento de crise logo cessará.

É imperativo ressaltar que a suspensão das aulas presenciais e, portanto, a não utilização das pendências da instituição, não ocasionaram superávit financeiro para a mantenedora. Os insumos da prestação de serviço da Favenorte e de qualquer instituição de ensino decorrem essencialmente da matéria humana. Quaisquer outros itens para além da mão-de-obra perfazem gastos poucos significativos nas contas que mantém a faculdade aberta ou, em outro caso, fechada.

Neste sentido, na contramão dos efeitos financeiros decorrente do isolamento social e da suspensão das atividades presenciais a Favenorte manteve até o presente momento totalmente intocável o seu quadro de colaboradores sem nenhum registro de demissão, seja no corpo docente, diretivo ou administrativo e isso por consequência inequívoca, demanda um aumento dos índices de inadimplemento dos acadêmicos, registrados nos últimos 30 dias.

A função social da Favenorte na região da Serra Geral impõe a ela obrigações bilaterias que devem ser observadas. Se por um lado a instituição está inclinada a não medir esforços para atender e está atenta às reinvindicações dos acadêmicos, por outro lado, é salutar o dever de zelar por suas responsabilidades celetistas com seu corpo docente, que em nenhum momento deixou de prestar seus serviços educacionais. Vale ressaltar que estes profissionais lançaram e continuam a lançar mão de sorte de esforços e criatividade para a assegurar a entrega de um ensino de qualidade.

Alinhado a todo esse contexto, a Federação Nacional das escolas particulares – FENEP, ressalta que se seguir a pressão e ameaças legislativas de projetos de leis que visam impor a obrigação de concessão de descontos nas mensalidades, estaríamos diante de um imbróglio jurídico sem precedentes na história do judiciário brasileiro, visto que órgãos de defesa do consumidor e juristas alertas que tais propostas, nenhuma delas ainda foi aprovada e nem podem ser consideradas constituais e interferem de forma injustificada na livre iniciativa das instituições de ensino.

Coadunado com o posicionamento da associação brasileira de mantenedoras do ensino superior – ABMES, entidade que representa as escolas e faculdades da rede privada, a Favenorte igualmente entende que a imposição de um desconto linear pode levar demissões, queda na qualidade de ensino e até fechamento da nossa intuição, bem como impediram que as instituições possam atender com descontos mais significativas aos alunos inseridos em famílias que tiveram maior perda de renda no período da crise. Cada aluno ser atendido  conforme a sua necessidade ainda é a melhor opção.

É com esse entendimento e consciência social que a Favenorte se solidariza diante do atual cenário nacional e, sobretudo, regional, para manifestar para que sua postura e abertura negocial e financeira se mantem inalteradas. Enfrentamos com serenidade, hombridade e respeito aos nossos acadêmicos as implicações legais e constitucionais que eventualmente surjam desse contexto, todavia, igualmente se manterão inalterados nosso compromisso de entrega de um ensino de qualidade, através das plataformas recomendadas pelo MEC, buscando sempre o aprimoramento de suas funcionalidades e soluções de intercorrências, bem como reiteramos nosso compromisso de atendimento individualizado e personalizado a cada acadêmico que se encontre na necessidade de repactuar seus débitos com nossa instituição.

Outra sorte não nos assiste nesse momento se não a da “via de mão dupla”, se por um lado a Favenorte se manifesta sensível as necessidades financeiras e pedagógicas de seus acadêmicos, a instituição roga de seus acadêmicos a compreensão e reconhecimento do esforço hercúleo desprendido por nossos colaborados igualmente entendem a situação financeira retro contextualizada. É tempo de de empatia recíproca.

E esforça é saudável e indispensável, mas sem os resultados recíprocos, não significam nada!!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale conosco!