WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
Olá, Como posso te ajudar?

Cicatrizes

Cicatrizes, quem não tem! São marcas de dores, de lutas, de histórias com as quais sempre podemos aprender. Esse evento, realizado na semana da consciência negra pelos alunos do 2 e 6 períodos de Educação Física veio com essa intenção: aprendizagem por meio do diálogo, das histórias de vida.
Na quinta-feira tivemos um bate-papo com a participação do africano Reinaldo Natcha de Guiné Bissau/Africa, professores Thiago Rapadura e Josilene de Montes Claros e Djalma, Kenia e Milton da família FAVENORTE. Foi um momento único para desfazer as mentiras contadas e impregnadas na nossa mente por causa do perigo de uma única história. Sim, a história do negro no Brasil foi contada pelo branco colonizador, por isso a necessidade de ouvir a história a partir da cicatriz, de compartilhar experiências de quem viveu e/ou ainda vive o peso do racismo.
A sexta-feira foi recheada de apresentações de dança afro, minicurso (maculelê) e delícias como o quebra-queixo, um doce delicioso da culinária afro-brasileira. A ideia era mostrar que essas influências africanas estão mais presentes no nosso cotidiano do que imaginamos. A finalização desses momentos se deu com a apresentação do musical “Você é especial”, pelo projeto cicatrizes de Montes Claros. Histórias foram cantadas, dançadas, musicadas. Luz, câmera, ação, lágrimas, emoção e muita esperança. Acreditamos que histórias tem o poder de capacitar e humanizar. A cicatriz é uma ferida que já foi curada, falar sobre ela não causa dor, causa aprendizagem, revela nossa humanidade.
O sentimento que temos hoje é de gratidão à Favenorte, pelo forte apoio, aos patrocinadores, à parceria da secretaria de educação da cidade de Mato Verde, ao projeto cicatrizes de Montes Claros, aos alunos do 2 e 6 período do curso de Educação Física e acima de tudo, a você que foi nos prestigiar com sua presença, que foi contribuir com sua história. Acreditamos que sementes foram lançadas: a verdade sobre quem somos, a beleza de ser você mesmo, a consciência humana de que a diferença acrescenta e não exclui…. Agora é esperar o crescimento dos galhos, das folhas e dos bons frutos na certeza de que quem planta colhe!

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email