WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
Olá, Como posso te ajudar?

Artigos Publicados

A proposta do presente estudoconcentrou-se na discussãodo novo modelo de família, a aceitação da sociedade perante a união homoafetiva e na adoção de crianças e adolescentes. Com o reconhecimento da união estável entre casais homoafetivos pelo Supremo Tribunal Federaloficializou-se na sociedade brasileira um novo modelo de família, inovando o modelo tradicional e, em decorrência disso, surgiram questionamentos no âmbito jurídico sobre os direitos decorrentes dessa união.Nesse sentido, o objetivo do estudo foi analisar o instituto da adoção por casais homoafetivos e apresentar os posicionamentos dos tribunais, tendo em vista que o ordenamento jurídico brasileiro ainda carece de legislação que trate desse tema.A trajetória metodológica do estudobaseou-se em uma revisão bibliográfica com abordagem qualitativa, a partir de doutrinas e estudos que abordem a temática.


257 Downloads

Trata-se de uma revisão da literatura brasileira realizada a partir de artigos originais publicados nos últimos cinco anos nas Bases de Dados da Biblioteca Virtual em Saúde, indexados pela Medline, SciELO e Lilacs,cujo objetivo foiverificarasevidênciasda prática doassédio e sofrimento moral comos trabalhadores de enfermagem.Os dados foram levantados em janeiro e fevereiro de 2016, utilizando descritores controlados, combinados com operadores booleanos e resultou em 07 artigos selecionados. Todos os trabalhos foram realizados na região Sul do Brasil e envolveram 1524 profissionais de enfermagem. As evidências científicas indicam que os fatores desencadeantes de assédio e sofrimento moral podem ser relacionados à assistência e relacionamento interpessoal e a fatores da gestão. Os fatores da assistência e relacionamento interpessoal são a falta de competência da equipe, questionamentos das decisões tomadas, críticas verbais ao trabalho e desrespeito a autonomia do paciente, enquanto os ligados a gestão são falta de diálogo entre chefia e comandados e falta de acesso a programas de educação permanente. Conclui-se que há necessidade de abertura de espaços para reflexões, diálogo e discussões dos problemas morais que envolvam os atores da de enfermagem e da gestão nas instituições.


205 Downloads

Objetivou-se traçar o perfil sociodemográfico, histórico ocupacional e identificar os principais fatores estressores entre os colaboradores de uma Autoescola em Janaúba, Minas Gerais. Trata-se de um estudo descritivo de natureza quantitativa, realizado com 18 funcionários de uma autoescola. Os dados foram coletados no período de maio a junho de 2016,por meiode um questionário estruturado em três dimensões (I: dados socioeconômicos; II: informações ocupacionais; III: informações específicas causadoras de estresse). Os resultados mostraram que 72% dos profissionais estudados eram do sexo masculino. A idade variou de 25 a 45 anos e o estado civil entre casados e solteiros, sendo que 78% têm como escolaridade máxima o 2° grau completo. Observou-se que os principais e mais frequentes fatores desencadeadores do estresse ocupacional foram o excessivo controle,por parte da gerência,nas atividades desempenhadas, responsabilidade não claramente definida e falta de reconhecimento pelo trabalho realizado. Acredita-se que esses fatores podem justificar que os trabalhadores entendam que suas sugestões não são consideradaspelos superiores, na tomada de decisões, assim como podem influenciar na percepção de que o trabalho do colega de serviço seja insatisfatório e gerar a sensação de falta de cumprimento da ética profissional e impressão de deslealdade por parte dos colegas. Dessa forma,é importante a valorização dos profissionais de modo a proporcionar excelência em seus serviços prestados, destacando,ainda,os benefícios de um ambiente favorável à boa rotina de trabalho e, posteriormente, à qualidade de vida dos trabalhadores.


142 Downloads

Verificar a associação entre fatores antropométricos e Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) em mulheres climatéricas. Métodos: Estudotransversal e analíticocuja população avaliada correspondeua mulheres climatéricas assistidas pelas Estratégias de Saúde da Família da cidade de Montes Claros, Minas Gerais.Foram considerados hipertensas as mulheres com pressão arterial ≥ 140/90mmHg ou em uso de medicamentosanti-hipertensivos. As associações entre os indicadores antropométricos (Indice de massa corporal-IMC; Circunferência abdominal-CA; Relação cintura quadril-RCQ e Relação cintura estatura-RCE) e a hipertensão arterial foram analisadas pelo teste qui-quadrado, adotando um nível de significância de p< 0,05. Resultado: A amostra foi composta por 874mulheres climatéricas, com idade média de 51,03 (dp±7,19) anos, sendo 41,4% (n=362) mulheres normotensas e 58,6% (n=512) hipertensas. As mulheres analisadas apresentaram alteração em todos os fatores antropométricos, revelando associação significativa com a hipertensão arterial com todos os fatores analisados (p= 0,000). Conclusão: Observou-seneste estudo que a HAS associou-se positivamente aos indicadores antropométricos. Os resultados alcançados mostram a importância desses indicadores na identificação do risco para HAS e a acuidade de adotá-los na prática clínica e em estudos epidemiológicos com mulheres climatéricas.


128 Downloads

O sistema prisional brasileiro há tempos tem sido foco dos noticiários veiculados pelos meios de comunicação, devido à falta de programas que propiciem melhores condições ao cumprimento da pena imposta a estes indivíduos que ali se encontram, bem como alcançar o fim social que é a ressocialização. A Lei de Execução Penal dispõe sobre os direitos do preso bem como o cum-primento dos princípios norteadores do direito penal. Contudo é possível perceber a grande contradição existente entre o que está disposto na norma com o grande número de criminosos reincidentes. O presente trabalho tem como objetivo analisar as políticas públicas implantadas em penitenciária de segurança máxima para ressocialização dos apenados em cumprimento da pena no âmbito deste sistema penitenciário. Nesta visão, realizou-se uma pesquisa bibliográfica onde foram consultadas doutrinas pertinentes ao tema, constatando-se que a Lei de Execução Penal apresenta mecanismos para alcançar a finalidade ressocializadora da pena, porém as uni-dades prisionais apresentam estruturas falidas em virtude das más condições físicas e a falta de políticas públicas que viabilizem o processo de retorno do apenado ao convívio.


127 Downloads

Estimar a prevalência de sobrepeso e obesidade e associar esse distúrbio as fases do climatério. Métodos: Estudo epidemiológico do tipo analítico, transversal e quantitativo, com 866 mulheres no climatério atendidas pelas Estratégias da Saúde da Família dazona rural e urbana do município da cidade de Montes Claros, Minas Gerais.Foram consideradas com excesso de peso as mulheres comIMC acima de 25,0. A associação entre IMC e as fases do climatério foram analisadas pelo teste qui-quadrado, adotando nível de significância de p<0,05.


180 Downloads

Objetivou-se analisar o perfil dos profissionais de enfermagem atuantes na UTI do Hospital Regional deJanaúba, Minas Gerias e as atividades desempenhadas durante os cuidados de enfermagem na inserção e manuseio do CVC. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, realizado com 24 profissionais de enfermagem. Os dados foram coletados no período de março a abril de 2016 através de um questionário estruturado aplicado no local de trabalho dos profissionais. Identificou-se prevalência de profissionais do sexo feminino (71%), entre 28 e 32 anos (33%), casadas (67%), pardas (63%) e com formação técnica de enfermagem (83%). A equipe executa atividades de auxiliar o procedimento médico (34%), preparar o material a ser utilizado (32%), posicionar o paciente adequadamente (20%), realizar o curativo ao término do procedimento (12%) e administrar medicações (02%) no momento da inserção do cateter e realizam curativos (43%), cuidados para evitar traumas e exteriorização (17%), administração de medicamentos (11%), fazem assepsia do CVC (11%), entre outras atividades para manutenção de cateter. Conclui-se que os cuidados de enfermagem são essenciais durante a inserção e manutenção do CVC, porém é necessário avaliar a viabilidade de inserir profissionais com pouca experiência e a realização de treinamentos para qualificação da equipe.


274 Downloads